15 de junho de 2024

Equador Declara Novo Estado de Emergência de Segurança

O presidente do Equador, Daniel Noboa, decretou um novo estado de emergência em sete províncias do país devido ao aumento da violência e criminalidade. A medida terá duração de 60 dias e permitirá ações mais rígidas das forças de segurança.


Contexto da Crise de Segurança

O presidente do Equador, Daniel Noboa, anunciou nesta quarta-feira (22) um novo estado de emergência em sete das 24 províncias do país. Esta medida, que terá duração de 60 dias, foi motivada pelo aumento das mortes violentas e outros crimes nestas regiões.

Províncias Atingidas pela Medida

As províncias afetadas pela declaração de emergência são:

  • Guayas
  • El Oro
  • Santa Elena
  • Manabi
  • Sucumbios
  • Orellana
  • Los Rios
  • Uma área específica da província de Azuay

Poderes Extraordinários

Durante o estado de emergência, as forças de segurança terão poderes ampliados, podendo:

  • Entrar em casas sem autorização prévia
  • Interceptar correspondência

Justificativas do Governo

O presidente Noboa justifica a medida pelo crescimento da violência, em grande parte atribuída às gangues de drogas que usam o Equador como rota de transferência de cocaína da Colômbia e do Peru. Ele já havia declarado o país em guerra contra essas gangues em janeiro, designando 22 delas como grupos terroristas.

Medidas Anteriores e Controvérsias

Em um decreto anterior, Noboa havia declarado estado de emergência em cinco províncias, mas este foi cancelado pela Corte Constitucional, que considerou a justificativa insuficiente. Agora, o novo decreto também será enviado para avaliação da corte.

Reação das Forças de Segurança

Com a nova declaração, o presidente espera intensificar as operações policiais e militares para combater a violência. No entanto, o gabinete do procurador-geral investiga oito assassinatos extrajudiciais que teriam ocorrido durante o último estado de emergência. Grupos de direitos humanos alertaram sobre possíveis abusos de autoridade.

A situação de segurança no Equador continua crítica, e o governo de Daniel Noboa busca respostas firmes para controlar a violência crescente. Este novo estado de emergência representa mais uma tentativa de restabelecer a ordem nas províncias mais afetadas.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *