19 de junho de 2024

Brasil e China assinaram uma proposta inédita para negociações de paz entre Ucrânia e Rússia. A iniciativa visa promover o diálogo e desescalada do conflito, além de organizar uma conferência internacional de paz reconhecida por ambas as nações envolvidas.


Iniciativa Conjunta para Negociações de Paz

Nesta quinta-feira (23), Brasil e China assinaram uma proposta conjunta de negociação de paz para a guerra na Ucrânia. O documento foi assinado pelo assessor especial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Celso Amorim, e pelo ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, em Pequim.

Objetivos da Proposta

A proposta visa:

  • Promover o diálogo e a negociação como única solução viável para a crise na Ucrânia.
  • Encorajar todas as partes a criarem condições para a retomada do diálogo direto.
  • Desescalar a situação até a realização de um cessar-fogo abrangente.

Conferência Internacional de Paz

Brasil e China também apoiam a realização de uma conferência internacional de paz em um momento apropriado, reconhecida tanto pela Rússia quanto pela Ucrânia. A conferência contará com a participação igual de todas as partes e uma discussão justa de todos os planos de paz.

Princípios para Desescalada

O documento destaca três princípios fundamentais para a desescalada da situação:

  1. Nenhuma expansão do campo de batalha
  2. Nenhuma escalada de combates
  3. Nenhuma provocação por qualquer parte

Assistência Humanitária

Os dois países sugerem a ampliação da assistência humanitária para prevenir uma crise humanitária em larga escala. É essencial evitar ataques a civis e proteger mulheres, crianças e prisioneiros de guerra.

Prevenção de Crises Nucleares

Brasil e China reforçam a rejeição ao uso de armas de destruição em massa, especialmente armas nucleares, químicas e biológicas. É crucial fazer todos os esforços possíveis para prevenir uma proliferação nuclear e evitar uma crise nuclear.

Reconhecimento e Cooperação

O Ministério das Relações Exteriores da China declarou que o Brasil é uma prioridade diplomática para o país. Durante o encontro, Wang Yi expressou a disposição da China em fortalecer a cooperação estratégica com o Brasil e melhorar o posicionamento das relações bilaterais.

Com essa parceria, espera-se um avanço significativo na busca pela paz e estabilização na região, demonstrando o compromisso de Brasil e China em resolver conflitos globais por meio do diálogo e cooperação.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *