19 de junho de 2024

Governo Federal Estuda Pagar Famílias para Abrigar Vítimas das Chuvas no RS

O ministro Paulo Pimenta anunciou que o governo federal está avaliando uma medida para pagar famílias que abrigarem vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Com quase 77 mil pessoas em abrigos e mais de 581 mil desalojadas, a medida busca aliviar a superlotação dos abrigos e permitir a retomada das aulas.


Pagamento para Famílias que Abrigarem Vítimas

O ministro extraordinário para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, revelou que o governo federal está considerando pagar R$ 400 por pessoa abrigada às famílias que acolherem vítimas das enchentes. A medida será discutida nos próximos dias com o Ministério do Desenvolvimento Social.

Situação Atual no Rio Grande do Sul

De acordo com a Defesa Civil gaúcha, o estado enfrenta uma catástrofe climática sem precedentes, com:

  • 77 mil pessoas em abrigos.
  • Mais de 581 mil desalojadas.
  • 157 mortes confirmadas.
  • 88 desaparecidos.
  • 2,3 milhões de pessoas afetadas.

Detalhes da Proposta

Paulo Pimenta explicou que atualmente o governo paga R$ 20 mil para cada 50 pessoas em abrigos públicos. A ideia é redirecionar esses fundos para famílias ou associações comunitárias que possam abrigar os desalojados, descentralizando os grandes abrigos e permitindo a desocupação de espaços escolares.

Iniciativas do Governo Federal

Na última semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou medidas adicionais de apoio:

  • Compra de imóveis para famílias desalojadas, através do programa Minha Casa, Minha Vida, beneficiando as faixas 1 e 2.
  • Auxílio Reconstrução de R$ 5,1 mil, pago via Pix para famílias que perderam móveis e itens essenciais, baseado em informações da Defesa Civil do RS.

Critérios para Benefício do Programa Minha Casa, Minha Vida

Faixa 1:

  • Renda bruta familiar mensal até R$ 2.640.

Faixa 2:

  • Renda bruta familiar mensal entre R$ 2.640,01 e R$ 4.400.

Objetivos da Medida

A proposta visa:

  • Aliviar a superlotação dos abrigos.
  • Permitir a retomada das aulas em espaços educativos.
  • Descentralizar os abrigos temporários, evitando a criação de cidades temporárias lotadas.

Com essas ações, o governo busca proporcionar alívio imediato às vítimas e criar soluções sustentáveis para a crise. A união de esforços entre governo federal e famílias poderá facilitar a recuperação do Rio Grande do Sul.


Essas medidas são essenciais para a reconstrução e o apoio às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul, destacando a importância de solidariedade e colaboração em momentos de crise.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *